Home » Alimentação

Alimentação

Alimentação e Hábitos de Vida

Definição:

Alimentação – s.f. 1. Ato ou efeito de alimentar-se. 2. Conjunto de substâncias de que um indivíduo costuma alimentar-se.

Nutrir – vtd. 1. Alimentar; sustentar. 2. Constituir o alimento de. 3. Produzir alimentos para; fornecer recursos alimentícios a. 4. Engordar, cevar. 5. Desenvolver, educar, instruir. 6. Alentar, avigorar. 7. Proteger, favorecer…

Nutriz – s.f. 1. Mulher que amamenta; ama de leite. Adj.(f) 2. Que alimenta. (Novo Dicionário Básico da Língua Portuguesa Folha/Aurélio)

Nutrir – do latim nutrire/nutriz XVII. (Dicionário Etimológico Nova Fronteira)

A partir destas definições, podemos entender a mulher como a mais qualificada para produzir o alimento, pois é dotada fisiologicamente desta capacidade de produzir o leite materno, o primeiro alimento que todo ser humano merece receber.

O homem não deve sentir-se excluído desta tarefa, basta dedicar-se com sentimento, que também será capaz de transformar o alimento.

Nas definições observamos as palavras: Cuidar, educar, relacionadas a nutrir, sendo um termo abrangente no desenvolvimento do ser humano, não se limitando somente ao que se come.

Os orientais costumam se referir às cinco bocas: olhos, ouvidos, nariz, boca e pele, ou seja, aos cinco sentidos. É através deles que nos nutrimos, por isso precisamos selecionar bem o que vemos, ouvimos, respiramos, comemos e tocamos.

Aos olhos devemos alimentá-los com belas imagens naturais, com filmes em cinemas, peças de teatro, boas leituras com luminosidade adequada. Devemos evitar TV, vídeo games, telas de computador…

Aos ouvidos oferecer boas conversas, música de qualidade num volume que não agrida os órgãos auditivos.

Ao nariz, através da respiração, oferecer quantidade de ar puro como fonte de oxigenação várias vezes ao dia.

À boca oferecer moderadamente alimentos integrais, frescos, originados próximo da região em que vivemos e da estação do ano. Respeitando sempre a nossa cultura alimentar familiar e regional, a nossa condição física e de saúde, as idades e o gosto das pessoas. Lembrar que a mastigação é parte principal da digestão, para que o alimento possa ser absorvido pelo organismo.

A pele merece receber sol (antes das 10 e após as 16hs.), ar e água pura. Não devemos usar tecidos sintéticos e sim de algodão. O sabão deve ser neutro e em pouca quantidade. Evitar o uso de cremes, loções, talcos, etc., eles desequilibram o Ph da pele favorecendo o aparecimento de diversas moléstias e dificultando a respiração através dos poros. Os desodorantes devem ser usados o mínimo possível e os anti-transpirantes devem ser abolidos, pois não permitem a eliminação de toxinas através da transpiração, contribuindo para o câncer de mama. Evitar o uso de fraldas e absorventes descartáveis dando preferência aos de pano (algodão).

A prática de atividade física deve ser diária, moderada, de preferência ao ar livre de acordo com a individualidade e o gosto de cada um.

A nossa moradia, o trabalho e o lazer devem oferecer condições para o nosso desenvolvimento pessoal, ao invés de nos escravizar, aprisionar e robotizar.

Princípios Gerais Sobre Alimentação:

  1. O melhor alimento do lactente é o leite materno. A amamentação deve seguir até cerca de 6 a 7 meses de idade, como único alimento da criança, mesmo a água só será necessária em casos especiais e em dias muito quentes. Devemos ainda lembrar que a alimentação do lactente, como de qualquer pessoa deve ser sempre orientada pelo seu médico, ele é quem sabe conciliar o tratamento médico homeopático com as necessidades alimentares do seu paciente.
  2. O ambiente para se fazer a alimentação deve ser o mais tranquilo e convidativo possível, sem barulhos (TV, rádio, etc.), limpo, sem odores fortes, durante o qual deve-se evitar as discussões e assuntos desagradáveis; devemos sempre dar preferência em comer mais em casa, deixando para irmos aos restaurantes e lanchonetes apenas em ocasiões esporádicas.
  3. O alimento deve ter: aspecto, cheiro, sabor do agrado de quem vai comê-lo.
  4. Evitar tomar líquido às refeições, mastigar bem o alimento, comer sem pressa.
  5. Dê preferência à fruta e não ao seu suco. Este já perde propriedades nutritivas em relação à fruta inteira, mesmo se consumidos rapidamente.
  6. Fazer uso de alimentos da época e crus (frutas, verduras,…) na primavera e no verão, no inverno e outono devemos consumir as verduras, legumes e raízes cozidos. Em caso de usá-los durante a noite ou em alimentação para doentes, devemos cozinhá-los.
  7. Dar preferência aos alimentos produzidos sem defensivos químicos e sem fertilizantes artificiais, devem ser frescos e amadurecidos naturalmente. Evitar os enlatados e os processados industrialmente.
  8. Buscar aprender técnicas de conservação sem aditivos químicos e os congelados devem ser usados o menos possível. Deve-se dar preferência aos frascos de vidro e outras embalagens que sejam recicláveis, com o prazo de validade bem visível.
  9. A alimentação deve ser sempre à base de alimentos naturais e integrais.
  10. A retomada do hábito de se alimentar preferencialmente em casa, proporcionará um melhor controle de qualidade e se atenderá mais a uma das finalidades da alimentação, que é a de aproximar a família.

O Que São Alimentos Naturais e Integrais?

São produtos mantidos ao máximo possível com todas as suas propriedades nutritivas, produtos que devem chegar ao consumidor sem adições ou conservantes químicos, num estado puro, por isso deterioram-se mais rapidamente. São produtos com alto teor nutritivo, como o arroz integral com as suas vitaminas, as farinhas de grãos integrais, como as farinhas de “pilão” ou moinho de pedra tradicional.

Exemplos de Alimentos Naturais e Integrais:

A) Temperos:

- Sal marinho integral – é o sal obtido da água do mar e moído, sem filtragem e sem adições. É completo em elementos nutritivos e proteicos do mar. Contém quantidades naturais de elementos como: Mg, Mn, Fe, I, e proteínas. O iodo está na sua proporção natural, de uso milenar de uso do sal integral e não de adições artificiais atualmente impostas por lei.

Deve-se adicionar menos sal no alimento de crianças e doentes.

- Gersal (gomásio) – tempero feito de sementes de gergelim (branco ou preto) e sal moídos e tostados. Usados no tempero de alimentos em geral, em substituição ao sal.

- Tahine – preparado com pasta de gergelim e sal. Usado como tempero ou como manteiga.

- Shoyu (molho de soja) – Líquido de sabor salgado, cor marrom avermelhada e aroma característico, produzido durante a fermentação. Utiliza-se soja, trigo e sal para a sua produção. Deve-se tomar cuidado na compra de shoyu ou misso, verificando sempre a sua procedência e evitando os fermentados com açúcar.

- Misso (massa de soja) – Alimento fermentado, muito rico em proteínas e enzimas. Há algumas variedades de misso que, além do feijão de soja, contém arroz (que é o mais comum), ou trigo (que produz um misso doce) e sal. Pode ser utilizado para temperar quase todos os tipos de vegetais, sopas, etc. Usa-se dissolvendo uma colher das de chá de misso por pessoa em um pouco de água morna, que é adicionada à sopa ou ao alimento depois de cozidos, mas ainda quente. O misso não pode ser fervido.

- Vinagre de arroz ou de maçã.

B) Adoçantes:

- Açúcar mascavo; açúcar demerara; melado de cana; rapadura e mel.

C) Cereais integrais:

1 – Arroz integral – é o arroz que perde apenas a sua casca de palha e a primeira sobre casca. É rico em vitaminas do complexo B e rico em proteínas, por conservar as outras “cascas”, ao contrário do arroz polido (arroz branco comum), que possui quase que exclusivamente glicídios (açúcares).

É o cereal básico na alimentação dos povos orientais (extremo oriente) e dos europeus e seus descendentes. Os ameríndios usam o milho em seu lugar e os do oriente próximo o trigo.

Há três tipos fundamentais:

- Arroz integral cateto – de forma arredondada, mais curto e mais yang, indicado principalmente no inverno.

- Arroz integral agulhinha – mais longo e mais indicado para os dias de verão.

- Arroz moti – mais yin, mais comprido e de cor branca, mais rico em carboidratos, indicado para ocasiões especiais.

2 – Milho.

3 – Trigo.

4 – Centeio.

5 – Aveia.

D) Grãos:

- Feijão azuki – feijão vermelho, pequeno e arredondado. Yang. Pode ser usado como sopa de feijão, doces e sobremesas.

- Feijão preto, branco, carioquinha, fradinho, etc.

- Feijão de soja (evitar a transgênica).

- Grão de bico.

- Ervilha.

- Lentilha.

E) Diversos:

- Macarrões integrais.

- Pães e bolachas integrais.

- Granola.

- Tofu (queijo de soja) - pode ser usado em sopas, hambúrgueres, bolinhos, tortas, pastas, maionese.

- Proteína de soja (carne de soja) – deve ser aferventada e espremida antes de seu preparo, para retirar os produtos químicos utilizados na extração do óleo.

Cuidados na utilização de verduras e frutas

A grande maioria das folhas e ramas dos legumes e das raízes são ricas em vitaminas e minerais, por isso devem ser aproveitadas como alimento, ao invés de serem desperdiçadas.

As folhas verdes cruas são importantes na dieta. Use-as mais no almoço e principalmente no verão. Tempere-as com shoyu e azeite. Se cozinhar em água os vegetais, aproveite essa água para o arroz, a soja, etc. Ela é rica em sais minerais. As folhas se cozidas, devem sê-las rapidamente, ou no vapor, ou refogadas numa panela previamente aquecida e untadas com óleo. Devemos lavar bem os vegetais antes de utilizá-los. As raízes e os legumes devem ser lavados e escovados, e consumidos com casca.

Use às refeições um balanceamento de: uma espécie de folha, uma ou duas espécies de legumes (frutos e flores) e uma espécie de raiz. Variando as formas e cores. Elas melhor se completam nessa proporção.

Evite o consumo de tomates e massas de tomate. São ácidos e em geral demasiadamente carregados de agrotóxicos os primeiros e contaminados por fungos os segundos.

Das raízes não use a batata lisa (inglesa). Sua cultura é própria das regiões mais altas e frias dos Andes peruanos. Cultivada no Brasil necessita do emprego de fungicidas que a torna tóxica. Há grandes variedades de raízes para nosso uso, que dispensam essa batata no cardápio diário: inhame, cará, cenoura, mandioca, mandioquinha, bardana, batata doce, etc. Do cará se pode fazer purê ou “batata frita” ou inhoque, mais apetitosos do que da própria batata lisa.

Cruas, as frutas e as folhas devem ser preparadas e usadas de imediato. A luz e o ar as oxidam e diminuem rapidamente seu poder nutritivo.

Alimentos de origem animal

Devemos evitar consumir carnes em geral, pois esse consumo gera impacto prejudicial a nossa saúde, à vida dos animais, e contribui para a degradação do meio ambiente (ver DVD “A Carne é Fraca”). Caso a pessoa insista em consumir, dar preferência ao frango caipira, ovos caipira e galado, peixes de escamas e frescos.

Bebidas

Prefira água mineral sem gás ou de fonte, fervida e friltada. Não use filtros com sais de prata ou de ozonização. Não use água com aditivos, como o caso da fluoretação, de germicidas (cloração), e de fungicidas (sais cúpricos).

A água de coco é uma bebida rica em sais minerais, podendo ser usada no dia a dia, ou nos casos de doenças em pouca quantidade e frequente, com a finalidade de hidratar.

Sucos de fruta natural, devem ser preparados na hora de ingerir, para evitar perda de nutrientes. Lembrar que a fruta nutre mais que o suco.

Os refrigerantes industrializados devem ser evitados sempre que possível. Não usar os que possuem ácido fosfórico e quinino, como as colas, sodas e tônicas.

Os vinhos e espumantes nacionais costumam conter conservante a base de dióxido de enxofre, seu símbolo é “PV”.

O leite não deve ser usado por crianças maiores de dois anos e adultos. Pode substituí-lo pelos seus derivados.

Chás em geral têm ação medicamentosa, interferindo com o tratamento homeopático. Utilizar de preferência o banchá e o chá de maçã.

Cuidados Gerais no Dia a Dia

Os alimentos devem ser preparados num ambiente limpo, com utensílios apropriados. Os mais adequados são: panelas de barro, de pedra, de ferro, as esmaltadas, as de aço inoxidável, e as de alumínio grosso e de vidro. Evitar panelas de alumínio fino e as de revestimento com teflon, pois soltam resíduos tóxicos.

Na confecção do alimento evitar o uso de aparelhos que emitem radiação (forno microondas), os alimentos devem ser preparados manualmente, com amor.

Em casos de doenças utilizar alimentos cozidos, não usar alimentos crus, nem de origem animal.

Viagens frequentes, principalmente as que variam de altitude ou vão além de 100 km, prejudicam a saúde.

Fontes eletromagnéticas e de bandas significativas ultravioleta ou infravermelha, tanto inativam os medicamentos homeopáticos, como interferem fortemente nas reações orgânicas. É o caso dos aparelhos radiofônicos, televisão, monitor de computador, motores elétricos, lâmpadas fluorescentes, forno microondas, telefones portáteis e em especial o celular.

A TV em excesso é limitativa ao desenvolvimento da inteligência, da crítica e da criatividade, pelas suas limitações à fantasia, ao raciocínio, à reflexão e à fixação da atenção.

Todos esses fatores são de grande importância na evolução do ser humano em busca de sua individualização, portanto, na evolução de um tratamento ou acompanhamento médico (principalmente no homeopático), todas as condições em que vive o paciente, desde sua moradia e alimentação, até sua vida afetiva, seu trabalho, a prática de esportes e exercícios físicos, as condições de sono, vestuário, seu desenvolvimento de valores morais, religiosos, sociais e sua vida familiar, precisam passar por reflexões e ser motivo de constantes questionamentos durante sua vida e em especial nas consultas.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>