Home » Sem categoria » Saúde de Iporá (GO) inova ao usar homeopatia no combate a dengue.

Saúde de Iporá (GO) inova ao usar homeopatia no combate a dengue.

Saúde de Iporá (GO) inova ao usar homeopatia no combate a dengue.

:: 12:47:55 – 11.04.2010

Saúde de Iporá inova ao usar homeopatia no combate à dengue

Uma ação a se realizar dia 1º de maio, vai tornar a Homeopatia uma aliada da população de Iporá  no combate à dengue. A ação ficou acertada após a visita do médico homeopata Vagner Doja Barnabé a esta cidade. Ele já coordenou importantes ações de prevenção da dengue em outros municípios brasileiros.

Em Penápolis, SP, no ano de 2.007, 72% da população que recebeu o remédio se preveniu da doença e os restantes 28% tiveram formas leves da mesma.

Esses resultados positivos foram reconhecidos pelo Ministério da Saúde e foram apresentados ao Prefeito José Antônio e à Secretária de Saúde Lucélia Borges de Abreu Ferreira que resolveram adquirir o medicamento.

 A iniciativa desta ação na cidade é da médica homeopata iporaense Luciana Cardoso Menezes, que atua há aproximadamente duas décadas no Hospital Evangélico de Iporá .

 :: NOTÍCIAS

:: 18:54:26 – 15.04.2010

 Dengue continua a preocupar

A Gerência de Vigilância Epidemiológica da Secretaria da Saúde, divulgou há pouco os números da dengue referentes à 14ª semana de 2010. A doença apresenta aumento de 376,6% quando comparado ao mesmo período do ano passado. Até o dia 10 deste mês Goiás já tinha confirmado 69.280 casos.

Goiânia continua a liderar a lista com 34.499 casos. A Capital é acompanhada por Aparecida de Goiânia com 6.225 confirmações e Jataí com 2.236. Também já foram confirmadas 22 mortes sendo 11 por dengue com complicações, dez do tipo hemorrágico e um confirmado aguardando confirmação do tipo.

Também é grande o número de casos confirmados de dengue hemorrágica, 82. Goiânia registrou 45 casos da doença deste tipo, Aragarças 11 e Aparecida de Goiânia 10. 219 dos 246 municípios goianos já apresentaram notificações de dengue.

Iporá apresenta 922 casos, ocupando a 18ª posição, enquanto São Luis de Montes Belos, com 736 é a 21ª cidade goiana com maior número de casos por habitantes.

:: NOTÍCIAS

:: 10:49:20 – 23.04.2010

Dengue avança e Estado programa Seminário. Iporá tem 984 casos

Os casos de dengue em Goiás aumentaram 344% com relação ao mesmo período do ano passado, segundo dados disponibilizados no site da Secretaria de Saúde do Estado.  Em 2.009 foram 16.346 casos com 15 óbitos e em 2.010 já são 72.577 com 25 óbitos.
Esperava-se que esses números diminuíssem com o fim do período chuvoso, mas, ao contrário, eles continuam crescendo, o que levou o Estado a programar um Seminário, a se realizar no dia 4 de maio, com a presença de grandes especialistas no assunto, para discutir o problema.
Os dados da Secretaria computados até dia 17 de abril, mostram Iporá em 7º lugar com 984 casos da doença.
Aragarças, embora não apareça na lista como uma das cidades com maior número de doentes, apresenta um quadro preocupante com 11 casos de dengue hemorrágica, superada apenas por Goiânia com 47 ocorrências oficiais desse tipo de agravo.

:: NOTÍCIAS

:: 13:15:41 – 26.04.2010

Iporá: Em ação pioneira município fará aplicação de medicamento homeopático para prevenção da dengue

A Secretaria Municipal de Saúde de Iporá realizará no próximo sábado, dia 1º de maio, a campanha para distribuição gratuita na rede pública de doses de medicamento homeopático para prevenção da dengue. É uma ação pioneira no município e faz parte do esforço  em reduzir o número de casos da dengue, que chegou, inclusive, a ser considerado um dos maiores do estado neste ano.

Oito médicos homeopatas atenderão  a população, dentre eles a iporaense Luciana Cardoso Menezes, uma grande entusiasta dessa prática. Os profissionais fazem parte do Grupo de Estudos Homeopáticos de São Paulo Benoit Mure.

As últimas ações realizadas neste mês de abril foram nas cidades de Penápolis e Pereira Barreto em São Paulo. É a segunda vez que Penápolis lança mão da homeopatia no combate à dengue. A primeira foi em 2007 quando 20,78% da população recebeu o medicamento. O Grupo de Estudos que trabalhou na campanha concluiu, através da análise dos dados obtidos, que os indivíduos que não receberam o medicamento homeopático foram submetidos a um risco 34% maior de contrair a dengue do que os que receberam o medicamento.

A análise da incidência da doença  nos dois grupos (o que recebeu e o que não recebeu o medicamento) mostrou também que o uso da homeopatia reduziu em 25,15% o número de casos de dengue.

Em Iporá, as pessoas receberão duas gotas do medicamento China officinalis CH30, que não tem qualquer contra indicação ou efeito colateral.

:: NOTÍCIAS

:: 08:57:23 – 27.04.2010

Duas gotas sem contra indicações ou efeitos colaterais podem fazer a diferença na sua vida

Sábado, dia 1º de maio, Iporá terá a sua disposição oito postos de atendimento onde a população receberá  duas gotas do medicamento homeopático China officinalis para prevenção da dengue.

Todas as pessoas, indistintamente, poderão tomar o medicamento que não tem qualquer contra indicação ou efeito colateral.

Iporá está nos mapas da Secretaria de Saúde de Goiás como a 7º cidade em incidência de casos de dengue. A doença não parou de crescer nem com o fim do período de chuva, indicando que a proliferação do Aedes aegypti está fora de controle.
A vizinha cidade de Aragarças aparece nos mapas da secretaria estadual como a segunda cidade (a primeira é Goiânia) com o maior  incidência de dengue hemorrágica em Goiás.

Uma pessoa que teve já teve dengue fica imune contra o tipo de vírus que a provocou, mas ela ainda poderá ser contaminada pelas outras três formas conhecidas do vírus da dengue.

A dengue, mesmo na forma clássica, é uma doença séria. Caso a pessoa seja portadora de alguma doença crônica, como problemas cardíacos, devem ser tomados cuidados especiais. No entanto, ela é mais grave quando se apresenta na forma hemorrágica. Nesse caso, quando tratada a tempo a pessoa não corre risco de morte.

Como é praticamente impossível eliminar o mosquito, é preciso identificar objetos que possam se transformar em criadouros do Aedes. Dentre a série de medidas que cada cidadão pode ter para evitar a doença, a participação na campanha do dia 1º é das mais simples, já que não tem qualquer custo, exigindo apenas que a população se dirija até o local em que o medicamento estará sendo oferecido.

:: NOTÍCIAS

 
:: 20:38:21 – 02.05.2010

Iporá: Mais de 19 mil pessoas recebem medicamento homeopático contra a dengue

Em ação inédita em cidades de Goiás, 19.371 pessoas receberam gratuitamente no sábado (01), o medicamento homeopático China officinalis CH30 contra a dengue, através da campanha para o tratamento profilático da dengue, realizada pela secretaria municipal de saúde de Iporá e coordenada por médicos do Grupo de Estudos Homeopáticos Benoit Mure e a médica iporaense Luciana Menezes.

O coordenador dos trabalhos em Iporá, médico Vagner Doja Barnabé, baseado em experiências passadas através de campanhas similares realizadas em outras cidades, demonstrando satisfação com os resultados não se mostrou surpreso com os números por acreditar que à medida que as ações sejam bem divulgadas a busca da população pelo medicamento vai se tornando cada vez maior. “A população tem sentido necessidade de atendimento médico diferenciado, menos mecânico e agressivo, sem contra-indicações e efeitos colaterais”. Para o médico pesa também o fator financeiro, já que o tratamento homeopático é infinitamente mais barato.

Quanto a resistência da classe médica em aceitar a homeopatia, Barnabé considera isso “legítimo e da natureza humana, pedimos somente que não tentem impedir que façamos o nosso  trabalho”, chamando a atenção para as fortes campanhas negativas contra a homeopatia feitas pela academia médica e indústrias farmacêuticas. “Imagina que o custo desse medicamento de combate à dengue é de apenas R$ 0,10 por pessoa”, lembrando a grande economia que os gestores podem fazer. Outro detalhe importante são os benefícios terapêuticos que esse medicamento pode produzir na população. “A homeopatia tem crescido muito e isso assusta, por isso essa resistência”, diz Barnabé.

Indagado sobre os motivos de haver pouco uso do medicamento contra a dengue no Brasil, Barnabé considera que isso é uma questão de tempo, lembrando que à medida que uma cidade utiliza esse método, a divulgação em outros municípios acontece de forma natural. “Os gestores de grandes cidades sofrem muita pressão para não realizarem essas campanhas, porém, com o tempo a própria população vai exigir esse atendimento”, finaliza o médico, destacando a coragem do prefeito de Iporá José Antônio e da secretária Lucélia Borges, pela iniciativa.

Uma das grandes incentivadoras e divulgadoras dessa campanha em Iporá, a médica homeopata Luciana Menezes se mostrou muito satisfeita com os resultados, acreditando que o maior beneficiado será a população de Iporá, que tem sofrido com o número crescente de casos de dengue na cidade.

Quanto a necessidade de realizar novas campanhas de reforço, o médico destaca que é importante que haja nova ação no final de dezembro ou início de janeiro próximos, período em que crescem os números de pessoas infectadas pelo mosquito.
A campanha foi realizada em nove pontos de atendimento distribuídos pela cidade, facilitando o acesso de toda população e mobilizou em torno de 200 profissionais da secretaria municipal de saúde de Iporá.

:: NOTÍCIAS

:: 15:02:56 – 18.08.2010

Homeopatia ajuda a reduzir casos de dengue em Iporá

Iporá pode comemorar: os casos de dengue na cidade pararam de crescer e nenhum caso da doença foi notificado na cidade no mês de julho e nos primeiros sete dias de agosto. Os dados estão no sitio www.saude.go.gov.br.
No Estado, os números continuam crescendo. A ocorrência da dengue hemorrágica e as complicações da doença, que já causaram cinquenta e cinco mortes em Goiás, no ano de 2.010, preocupam gestores estaduais e municipais, em especial pela proximidade do período chuvoso. Há também outro motivo para preocupação: o Ministério da Saúde confirmou  três casos de dengue tipo 4 em Boa Vista, capital do Estado de Roraima.

O sorotipo 4 circula em dez países do continente americano, entre eles a Venezuela, que faz fronteira com Roraima, que é um dos oito Estados brasileiros com o maior número de casos confirmados de dengue do país. A situação é preocupante porque quem já contraiu a dengue do tipo 1, 2 ou 3, uma vez infectado pelo tipo 4, tem maiores chances de desenvolver as formas mais graves da doença, com complicações e hemorragia que podem levar à morte.

A  dengue assustou a população de Iporá neste ano e lotou o Hospital Municipal e os hospitais privados da cidade. No primeiro mês do ano foram notificados 156 casos e em fevereiro 511 novos casos surgiram. No mês de março foram 150 as notificações e em abril, 229. A partir de maio a situação mudou e o número de casos caiu para 42. Em junho foram apenas 4 casos. No mês de julho e nos sete primeiros dias de agosto nenhumo caso foi notificado.

O decréscimo pode ser explicado. As ações de conscientização e de manejo do lixo desenvolvidas pela Prefeitura e pela  Secretaria de Saúde se intensificaram. A população contribuiu mais e o período chuvoso passou. No entanto, outra ação foi significativa para que os números de dengue em Iporá parassem de crescer no índices que estavam crescendo. No dia 1º de maio, a Prefeitura de Iporá e a Secretaria de Saúde realizaram na cidade uma grande campanha de combate à dengue com a utilização do remédio homeopático China officinalis CH30. A campanha  foi idealizada pela médica homeopata iporanese Luciana Cardoso Menezes,  que faz parte do Grupo de Estudos de São Paulo Benoit Mure.  No dia da campanha, atuaram aplicando o medicamento, além de Luciana, os médicos Vagner Doja Barbabé, Renata Lemonica, Paulo Sergio Jordão Daruiche, Eduardo N. Takeyama, Ana Amélia Olandim, Fernanda Costa e Kátia Beatriz Guimarães, todos integrantes do Instituto Homeopático George Galvão. Esteve também em Iporá, acompanhando o grupo de médicos, na condição de responsável pela farmácia, Marcelo de Carvalho Galvão Nogueira.

Somente no dia 1º de maio, 19.371 pessoas foram imunizadas na cidade de Iporá. Nos dias que se seguiram,  Dra. Luciana promoveu a aplicação do medicamento em Unidades de Saúde da Família (USFs),  no Presidio, na Delegacia, no Tiro de guerra, no 12º BPM, em instituições beneficentes, na Universidade Estadual de Goiás e   na Faculdade de Iporá. Nesta etapa mais 3.034 pessoas receberam o produto, totalizando 22.405 doses aplicadas  no mês de maio.  Após, o medicamento continuou à disposição da população nas USFs da cidade.

Os resultados alcançados em Iporá confirmam a eficácia da China officinalis CH30 no combate à dengue. Além de acompanhar os números da doença em Iporá, Dra Luciana realizou uma pesquisa com pacientes internados no Hospital Evangélico de Iporá, após o dia 1º de maio, dia da campanha, e constatou que elas não haviam tomado o medicamento. “Estou feliz porque a homeopatia está sendo usada em prol da saúde pública de Iporá”, comemora Luciana. O prefeito de Iporá José Antônio, ouvido por esta reportagem comemorou: “Conseguimos reverter uma situação com baixo custo. A campanha significou uma evolução para a saúde pública de Iporá.” A dose custou apenas R$ 0,10.
Em novembro, antes do período chuvoso, outra campanha deverá acontecer em Iporá.

Iporá, que esteve na lista entre as dez cidades com maior número de doentes (em 1º  de maio Iporá era a 7ª cidade em número de notificações), ocupa hoje a 26ª posição. Comparando os dados de 1º de maio e de 31 de julho, Iporá teve um acréscimo do número de casos de apenas 4.4%, enquanto em todas as outras cidades que figuram na lista das dez com maior incidência o aumento foi de dois ou três dígitos. No mesmo período,  a dengue cresceu 18% em Aparecida, 24%  em Catalão, 45%  em Jatai, 48%  em Rio Verde, 66% em Mineiros,  153% em Luziânia, 197%  em Anápolis e 365% na vizinha cidade de Jussara. Nova Crixás por sua vez, viu seus números crescerem num percentual assustador de 722 %.

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado Campos obrigatórios são marcados *

Você pode usar estas tags e atributos de HTML: <a href="" title=""> <abbr title=""> <acronym title=""> <b> <blockquote cite=""> <cite> <code> <del datetime=""> <em> <i> <q cite=""> <strike> <strong>